sexta-feira, 25 de março de 2016

Estudo Afirma Que Cafeína Pode Causar Aborto


As mulheres têm um risco maior de aborto quando elas ou seus parceiros consomem cafeína em excesso, segundo um novo estudo concluído nos Estados Unidos.

Mulheres que bebem mais de duas bebidas que contenham cafeína por dia durante as primeiras sete semanas de gravidez são mais propensas a ter um aborto espontâneo, de acordo com o estudo publicado nesta quinta-feira na revista Fertility and Sterility.

O estudo, realizado por pesquisadores dos Institutos Nacionais de Saúde e da Universidade do Estado de Ohio, foi baseado em dados do Inquérito Longitudinal da fertilidade (LIFE, sigla em inglês).

Esse estudo incluiu 501 casais em Michigan e Texas entre os anos 2005 e 2009. A pesquisa considerou a relação entre fertilidade, estilo de vida e exposição a substâncias químicas no ambiente.

A pesquisa fez uma comparação entre o uso do cigarro, o consumo de bebidas com cafeína e uso de multivitamínicos entre 344 casais em que a mulher estava grávida. Das gestações, 98 (28%) terminaram em aborto espontâneo.

As conclusões dos pesquisadores foram baseadas na chamada taxa de risco que estima as chances de um resultado particular que ocorra durante o período de estudo.

Os pesquisadores concluíram ainda que o risco de aborto por conta do excesso de cafeína pode ser tanto quanto pelo que foi consumido pela mulher quanto pelo homem.


Fonte:


Países Mundo Afora: Suriname

Localizado ao norte da América do Sul, o Suriname limita-se a oeste com a Guiana, ao sul com o Brasil, a leste com a Guiana Francesa e ao norte com o Oceano Atlântico. Ex-colônia holandesa, o país era conhecido como Guiana Holandesa, mas, após conquistar a independência, em 1975, passou a adotar o nome de Suriname. Seu clima é equatorial chuvoso. A temperatura média anual é de 27°. A temporada de chuvas mais intensas ocorre nos meses de abril a julho.

Cachoeira Blanche Marie

Suriname tinha em 2014 uma população estimada em 568.000 habitantes. Sua capital, Paramaribo, é também sua maior cidade com população de 250.000 habitantes. O país é um dos menos densamente povoadas do mundo, com apenas 3 pessoas por quilômetro quadrado.

Paramaribo

O interior do país é coberto pela selva. A maior parte da população do país vive na região costeira. A costa era formada por pântanos, que foram drenados para tornar possível a agricultura. Esse tipo de vegetação ocupa uma área que avança até 18 km para o interior do país. 

Monte Kasikasima

A partir daí, já com 50 metros acima do nível do mar, encontra-se uma planície arenosa. Na fronteira sudoeste, estende-se uma área de savana, coberta de gramíneas. O ponto mais alto do país é o monte Julianatop, com 1.286 metros de altitude.

Monte Julianatop

A fauna e a flora do país são exuberantes, tipicamente tropicais. Destacam-se as aves coloridas, as palmeiras em grande quantidade. As tartarugas, os macacos e as antas são animais comuns.

Tartaruga de Couro

Atelopus

A economia do Suriname depende da mineração. O país tem grandes reservas de bauxita (matéria-prima do alumínio), ouro e petróleo. Na agricultura, cultivam-se arroz, cana-de-açúcar, banana e coco.

Indústria exploradora de bauxita

As religiões no país são assim divididas: 27,4% de hindus, 25,2% de protestantes, 22,8% de católicos, 19,6% de muçulmanos e 5% de outras religiões. 

Mesquita em Pararibo

Outras Informações:


Bandeira do Suriname

Moeda: Dólar do Suriname
Idioma: holandês (oficial), hindustâni, javanês, inglês, francês, crioulo.
Área Total: 163.265 km²
Alfabetização: 94,7%


Fontes:

brasilescola.uol.com.br

escolabritânica.com.br
indexmundi.com
infoescola.com
worldpopulationreview.com


Imagens:

amphibianrescue.org
blog.tix.nl
flagsinformation.com
loopsuriname.com
pinterest.com
surinametourism.sr
surinamhotspots.com
tabiki.wordpress.com
washingtontimes.com


terça-feira, 22 de março de 2016

A Grife Giorgio Armani Anuncia o Fim do Uso de Peles de Animais

As chinchilas já podem dormir um pouco mais tranquilas.

O Grupo Armani anuncia seu compromisso de cessar o uso de peles de animais, para todos os seus produtos. A partir da temporada de inverno de 2016, todas as peças em coleções do Grupo Armani serão, portanto, livres do uso de pele.

Conforme publicado no site da empresa, o próprio Giorgio Armani diz que o progresso tecnológico ao longo dos anos permitiu a abolição de práticas cruéis contra os animais. 

Ele completa afirmando que sua empresa está agora dando um grande passo à frente, o que reflete a atenção para as questões críticas de proteção e cuidado com o meio ambiente e com os animais.

O anúncio "livre de pele" da Armani deixa claro que os designers e os consumidores podem ter liberdade criativa sem apoiar a crueldade animal.


Fonte:

alive.armani.com

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...